quarta-feira, 13 de julho de 2011

Marituba sai na frente e lança o movimento " Marituba Diz Não e Vota 55"

Aconteceu ontem dia 12:00H na sede do partido Verde de Marituba uma importante reunião supra partidária com várias lideranças politicas "maris", de vários partidos como PT do B, PPL, PTB, PT e PV, alem de vários representantes comunitários e culturais, na pauta o lançamento do Movimento "Marituba Diz Não e Vota 55", o destaque da reunião foram as importantes presenças do Deputado Celso Sabino (PR), Presidente da Frente Parlamentar do Não, dos pré-candidatos a prefeito de Marituba FRED (PV) e Mário Filho (PTB), e representantes do gabinete do Vice-Prefeito Professor Poeta além da imprensa local como o Portal e Jornal Popular.
A reunião que teve ares de convenção foi um importante passo para a posição de Marituba frente ao plebiscito que ocorre no dia 11/12, como destacou o próprio Deputado Celso, que com muita disposição, respondeu todas as perguntas dos participantes sobre o plebiscito alem de apresentar dados consideráveis e relevantes que justificam a Não Divisão do Pará, o Deputado também se comprometeu a vir em uma outra reunião.
A reunião também teve alguns encaminhamentos:
PT do B disponibilizou sua Sede.
Haverá  reuniões para planejamento.
Haverá mobilização de empresários, autoridades e lideranças locais.
Em agosto haverá pelo menos mais dois eventos em locais centrais para a apresentação dos argumentos do "NÃO".
De acordo com Jhony Santos, presidente do Partido Verde de Marituba e organizador da reunião "O evento serviu também para iniciar em Marituba mais esse debate, e foi importante para todos os "Maris," principalmente pela presença de um importante Deputado Estadual, como no caso do Celso, que põe definitivamente Marituba nos debates encampados na Grande região Metropolitana de Belém, para Jhony, o Movimento do Não deve ter sua concentração justamente na RMB, pois é aqui em que se encontra a maioria das pessoas que votam pelo "Não" e onde a campanha do "Sim" deve concentrar seus esforços."
Estiveram presentes abrilhantando a reunião o Professor e Blogueiro Henrique Branco, que também apresentou dados importantes que justificam o "Não" alem da Professora Claudia Sueli, presidente da Associação dos Professores e técnicos da Escola Bosque, que disponibilizou empenho em levar esse debate para a Ilha do Outeiro.
Desde já, Portal Marituba em nome da Cidade e do Povo Mari agradece e parabeniza a presença do deputado celso, sua simpatia e cordialidade, e fica feliz em saber que essa legislatura pode contar com a sua juventude, coragem e garra na defesa dos interesses do Povo do Pará, nosso muito obrigado.
E desde já, a equipe de direção do Portal Marituba avisa a todos os nosso leitores que a postura do Site será em defesa da integridade territorial do Pará, portanto não esperem da gente isenção ou imparcialidade, aqui, seremos por um Pará Grande.

AVALIAÇÃO

2 comentários:

  1. PARABENS PELA INICIATIVA DO PORTAL DE MARITUBA ELES LÁ NO SUL E SUDESTE E OESTE DO PARÁ TAMBEM ESTÃO JÁ COMEÇARAM A CAMPANHA.
    MAS NÓS AQUI SEREMOS VITORIOSOS,VAMOS MOSTRAR PARA ELES O QUE É SER PARAENSES.COMO A GENTE TEM ORGULHO DE NOSSA TERRA

    ResponderExcluir
  2. Amigos do Portal Marituba,

    O debate não pode ter como eixo o bairrismo contra nossos irmãos do sul,sudeste e oeste do estado.

    Sou belemense, nascido e criado, contudo simpatizo pela causa dos que querem a emanciapação, abordando o eixo da razão ao invés da emoção que vem pontuando os debates sobre o tema.

    Em minha opinião a divisão do estado será benéfica sim para todos, pois o novo Pará terá de volta os recursos desviados do icms para o sul, sudeste e oeste (especialmente os municípios mineradores).

    Observem os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN)quanto a arrecadação do icms, principal imposto do estado:

    Os municípios que mais perderam receitas com o icms em 2008, foram:

    1º Belém (193 milhões),
    2° Ananindeua (41 milhões),
    3º Benevides (14 milhões) e
    4º Santarém (12 milhões).

    Segundo a SEFA-PA (LOA 2011) a receita estimada para 2011 do estado do Pará é de R$ 11.584.774.843.

    Os royalties da mineração estão estimados em R$ 18.535.580,00.

    Cerca de 0,16% da arrecadação do estado.

    O IDESP, com o apoio da SEFA e SEPOF elaborou um documento que ajuda muito a rcionalizar o debate através do Retrato da Divisão do Estado (disponível no site do IDESP).

    Retirei alguns dados que refletem o possível investimento que as novas unidades federativas teriam para o seu desenvolvimento.

    O Carajás teria mais de 150 milhões de reais para investimentos em seus 39 municípios (média de R$ 3.8 milhões / município);

    O Tapajós com R$ 19,4 milhões para investir em seus 27 municípios (média de R$ 720.000,00 / por município); e

    O Pará remanescente, com R$ 1.082 bilhões de investimento para seus 86 municípios (média de R$ 12 milhões de reais / município)

    Acho que estes dados podem servir para iniciar o debate.

    Amigos do Portal Marituba, gostaria que o foco do debate estivesse sim nas oportunidades de crescimento da região como um todo.


    A divisão vai fazer com que o estado respeite o princípio devolutivo e da delimitação da proporção de ICMS, que deve ser retornado os municípios (Inciso I do Parágrafo 1 do Artigo 158 da CF).

    Esses dispositivos estão sendo atacados na medida em que os montantes de recursos em cada município não está retornando na proporção devida.

    Isso em função dos produtos semielaborados serem completamente desonerados da tributação do ICMS pela Lei Kandir, o que acaba por beneficiar os municípios de base mineral em detrimento dos demais.

    Acredito que a divisão possa corrigir isso, com a distribuição mais equitativa, justa e em cumprimento dos dispositivos constitucionais.

    ResponderExcluir