terça-feira, 23 de agosto de 2011

BC arrepia nas obras e inaugurações!

Com todo o vapor, é com todo o vapor que “BC Amigão” acelera nas obras médias e pequenas em Marituba.
Na área da orla BC asfaltou várias ruas, no Nova Marituba ele está fazendo uma verdadeira operação de tapa buracos, a UPA do The Guevara está em pleno vapor e de acordo com integrantes do Governo deve ser entregue ainda em Dezembro deste ano, na Educação BC deve pagar mais uma parcela de R$1.000,00 no mês de Outubro, mas não é só isso.
BC também tenta de todas as formas esvaziar grupos políticos que ensaiam candidatura majoritária, Mário Filho que o diga, BC está mirando justamente no grupo de Mário filho e A3, isso porque pretende enfraquecer esses prefeituraveis junto ao Governador Jatene, na estratégia de BC para enfraquecer os grupos concorrentes, está o oferecimento de digamos assim alguns 2.000 favores para cada Pré-  candidato, ex-vereador, ou liderança forte que se agregue ao seu governo.
Por falar em Jatene, o Governador acaba de assinar alguns convênios com a gestão de BC que garantem muito mais asfalto.
Tudo isso para tentar limpar sua barra junto à população, que digamos assim não está tão feliz com ele. Agora é tentar também combinar com os gregos e russos. Estamos de olho.

AVALIAÇÃO

7 comentários:

  1. É A VELHA POLÍTICA DO "E DANDO QUE SE RECEBE". ATÉ QUANDO A CIÊNCIA POLÍTICA IRÁ CONVIVER COM ESSA DANOSA PRÁTICA?

    ResponderExcluir
  2. E o pior que ainda tem eleitor besta que cai nesse conto. Ta querendo se reeleger pra ficar mais 4 anos roubando e se marituba ja ta acabada, imagina esse cidadão por mais 4 anos. Mas ano que vem tem eleição e tomara que dessa vez não se repita o erro de 2008. Estamos sentindo na pele o sofrimento e vai ser nas urnas que daremos a resposta a essa administração que conseguiu ser pior do que a do Fernando Correa. Não tem dinheiro pra fazer obra na cidade, mas pra familia Couto fazer extravagancia tem de sobra.

    ResponderExcluir
  3. Nem se fale, "Bc-AMIGÃO" kk, passa 2 anos de férias agora que sua gestão esta cada vez mais próxima do fim ele decider por em prática algumas pouquissimas das suas propostas de governo, mas que eu me lembre ele saiu distribuindo em sua campanha folhetos que davam um livro de propostas, mas sejamos francos, cá pra nós, ele pinta uma escola e faz uma inauguração escandalosa! Os vigias das escola e intituições da prefeitura estão a 2 ou mais meses esperando seus salários, mas o prefeito gasta tudo em fogos para as grandiosas inaugurações!que amigão!.

    ResponderExcluir
  4. Até parece que BC e A3 estudaram na mesma escola. Vocês lembram, nos últimos (digo últimos mesmo) quatro anos do A3, o cara não fez nada, quando chegou em cima da hora botou um asfalto aqui tapou um buraco ali, achando, com a sua arrogância, que a eleição estava no "papo" ledo engano. O zé povinho não é mais tão bobo, te cuida J. Bertoldo R. do Couto! nós estamos de olho, e aguardem o causídico vem ai!

    ResponderExcluir
  5. Sempre existiu compras de partido e lideranças, mas essa atual gestão, não esta se preoculpando com comentarios, esta comprando todos partido e quem passar pelo caminho dele, EITA CARA DE PAU !!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. para o prefeito bertoldo couto Ò AMIGAO! nao existe nepotismo,pois sua familia e parentes estao todos lotados na folha de pagamento do municipio,e alguns estao exercendo cargos em secretarias de extrema importancia, uma delas é a secretaria de saude que é ocupada pela veterinaria luana couto, e talves seja por isso que o povo de marituba é tratado feito animais.E o unico trabalho dos outros parentes é ir assinar a folha de pagamento no final do mes.Mas vale lembrar caros amigos que se for analizar direito,o nosso prefeito Amigo, pode ser acusado de muito mais crime, por ex:nepotismo,peculato,enrriquecimento ilicito, desvio de verbas e outros...

    ResponderExcluir
  7. O REINO DA GRAMA, DA TINTA E DO OUTDOORCerto dia, em minhas andanças, encontrei um velho, mistura de antropólogo, filósofo, arqueólogo e ermitão. Sua aparência era assustadora, bizarra. Chamou-me para um lado e disse: “Menino, quero te contar uma história”. Nesse momento, aconteceu algo inusitado: fomos como que transportados para um outro mundo, uma realidade paralela, uma paisagem fantástica, exuberante. E aí ele sentou na grama verdinha e macia que circundava todo o local e começou uma longa fala, entrecortada de exclamações, gestos teatrais e risadinhas marotas.“Menino, em minhas viagens por esse mundo, conheci um reino engraçado. Cheguei à cidade e fingi ser louco, para que pudesse observar tudo direitinho. Logo percebi que o povo do reino era muito triste e pobre, muitos jovens e crianças sem ter o que fazer, perambulando pelas ruas ou fazendo coisas erradas. Curioso, vi que, apesar disso, a frente do reino era bem limpinha, tudo verde, a grama cortadinha, uma beleza. Era um cortar, aparar diário, como se tudo se resumisse em fazer o povo admirar esse mimo do rei. Outra coisa que notei: tudo no reino era pintado da mesma cor, amarelo e vermelho. O rei mandava pintar o que via pela frente, de montanhas a prédios, de árvores a fachadas de casas. O povo ficava revoltado: como mandar raspar toda a cobertura vegetal das majestosas montanhas, dos vales e colinas, para depois fazer os funcionários do reino passar dias e dias a pintar tudo de amarelo e vermelho? O pior era que ele dizia que aquelas montanhas, vales e colinas repintadas haviam sido construídos por ele. O reino todo respirava amarelo e vermelho. O Paço do Rei, esse então, era pintado e repintado toda a semana. Os funcionários eram obrigados a vestir as mesmas cores sob pena de serem considerados traidores e sumariamente condenados a uma morte terrível.“Mas o que deixou os súditos mais confusos, principalmente aqueles que possuíam carruagens, foi o estranho decreto em que o rei exigia que eles usassem uma espécie de brasão com duas letras e uma palavra esquisita nesses veículos. “Outra esquisitice do rei era quando os amigos faziam aniversário. Ela mandava colocar umas horríveis e gigantescas placas falando maravilhas das figuras, isso em todas as ruas e vielas do reino, maculando a paisagem onírica. E depois, dizem que por ter um acordo com algumas das pessoas que construíam as tais placas, mandava colocá-las até mesmo quando seus cachorros, gatos, gatas, coelhinhas e demais membros da grande e variada fauna fazia aniversário. O problema era vestir a bicharada para sair na foto. Apareceu até um porco de fraque e gravata, todo prosa, a sorrir ao lado da frase: ‘Vou ser candidato com o apoio do rei amigão’.”O velho ainda me disse que o rei tinha o hábito de viajar para outros reinos, sempre levando a tiracolo os amigos. Estes, assim como o monarca, viviam trocando de carruagem todo ano. Havia até umas com um aparelho estranho que fazia circular por dentro um friozinho gostoso e restaurador.Lá pelas tantas, o velho se levantou e bateu amistosamente nas minhas costas: “Menino, mas o homem se deu mal. Quis pintar o rio que cortava o reino com os tais amarelo e vermelho, mas o povo se revoltou e acabou por pintar o próprio rei e toda sua família com as cores tão famosas. Eles fugiram para bem longe, envergonhados.No outro dia, as montanhas, os vales e as colinas voltaram a ser verdes e o povo então voltou a sorrir, decretando que, a partir dali, nada no reino poderia mais ser pintado de amarelo e vermelho.

    ResponderExcluir