terça-feira, 13 de março de 2012

Marituba receberá mercado em abril ( O LIBERAL)

O mercado municipal "Governador Simão Jatene", de Marituba, deverá ser entregue até o final de abril, após já ter sido inaugurado, reformado e readequado desde 2006. Faltam ainda alguns novos ajustes, como balcões expositores refrigerados para a venda de carnes, frango e peixes. Pelo menos 180 trabalhadores ocuparão as vagas do prédio, cuja missão é ordenar, dar mais conforto e higiene a feirantes e consumidores, impacientes com a demora da obra. Uma das preocupações da Secretaria de Estado de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Seidurb), responsável pelo trabalho, é que o número de vagas pode não ser suficiente, já que, desde o início das obras, o número de feirantes duplicou. Já houve inclusive tentativa de invasão.
O feirante Antônio Santos, o "Marabá", 35 anos, há três anos vende laranjas no mercado e confirma que já houve vários prazos para a entrega da obra. Ele teme que a mudança para dentro do mercado reduza o movimento, mesmo com o conforto, segurança e higiene. "Para mim, já está pronto e o pessoal podia ir trabalhar. Mas de vez em quando acontece alguma coisa. Da última vez viram que estava alagando e não puderam entregar agora em fevereiro", comentou.
A feirante Maria Zacarias da Costa, 27 anos, está há menos tempo que "Marabá" e também pede que os trabalhadores sejam logo remanejados, cessando a cobrança de das taxas que pagam sem que nada se reverta em benefício aos trabalhadores e consumidores. "Estamos preocupados também com tanta gente pagando e a falta de espaço lá dentro. Acho que não vai dar todo mundo", opinou.
A dona de casa Marivalda Borges, 41 anos, faz compras quase todos os dias na feira de Marituba. Por se considerar uma contribuinte e consumidora exigente, quer que os impostos que paga se transformem em obras, como o mercado para ela comprar com mais conforto e protegida de sol e chuva. "Faz muito tempo que eu vejo esse mercado aí, todo bonitinho e nunca é entregue. Esse povo todo que faz compras e que trabalha na feira merece esse espaço logo. A gente paga tantos impostos, é cobrado de todo o jeito, mas quando é para trabalhar sempre é essa moleza", ironizou.
O titular da Sidurb, Márcio Espíndola, explicou que o mercado foi inaugurado em 2006, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no valor de R$ 308.366,08. Mas nunca foi usado porque foram identificadas infiltrações. Foram feitas também algumas adaptações e adequações para diferentes tipos de mercadorias e atividades e os equipamentos estão sendo aguardados. As mais recentesatendem às normas para comercialização e acondicionamento de carnes. "Até final de abril certamente estará tudo pronto", afirmou.
O secretário municipal de Obras e Terras de Marituba, Pedro Paulo Bezerra, acompanha os trabalhados e reforça que as obras físicas já foram realizadas e faltam pouquíssimos ajustes. "A Seidurb nos garantiu que vai entregar o mercado funcionando. A Secretaria de Assistência Social de Marituba está cuidando do cadastro dos trabalhadores para ocupar o mercado e o prazo que estimamos também é de que até mês que vem esteja tudo pronto. Porém, do lado de fora, alguns espaços perderam perfil de mercado. Temos até livrarias na feira. Houve gente que vendeu e comprou boxes. Há pessoas que usam três ou quatro boxes de uma só vez e teremos de ver como encaixar todo mundo", concluiu.

AVALIAÇÃO

0 Comentários:

Postar um comentário