sábado, 23 de fevereiro de 2013

Banpará anuncia Plano de Demissão Voluntária


O Banpará anunciou nesta semana um Programa de Demissão Voluntária - PDV aos bancários que têm mais de 20 anos de banco. Ao apontar o caminho da rua aos bancários e bancárias mais antigos, o banco faz esta "oferta":

1) pagamento de todas as verbas rescisórias;

2) indenização correspondente a 50% do salário-base, por ano ou fração igual ou superior a seis meses efetivamente trabalhados no Banco; 

3) depósito de 40% sobre o valor total de depósitos efetuados pelo banco no FGTS;

4) 100% do tíquete-alimentação, correspondente a 12 meses;

5) pagamento integral do Plano de Saúde e do Plano Odontológico para os funcionários optantes e de seus dependentes inscritos até a data da rescisão, pelo período de 12 meses.

Na condição de elegível, isto é, de quem se enquadra totalmente nos requisitos do banco para tomar o rumo da porta da rua é serventia da casa, faço minhas considerações sobre este PDV: 

 1. É um PDV totalmente na contramão do crescimento do país, do sistema financeiro e do próprio Banpará que desde 2007 só tem tido lucros e cada vez mais crescentes. Lucro, ressalte-se, construído com o esforço coletivo de seus quase 1.500 funcionários;

2. O PDV elege os que têm mais de 20 anos, justamente a parcela de bancários e bancárias que, em 1998, deu 20% de seus salários durante 11 meses para garantir o equilíbrio do Banpará e a consequente adesão ao PROES - Programa de Incentivo à Redução do Setor Público na Atividade BancáriaUm remédio amargo para evitar a liquidação ou privatização do Banpará. Para quem não sabe, o PROES tirou do mapa do sistema financeiro 24 dos 27 bancos estaduais e essa metralhadora giratória foi disparada pelo Governo FHC, de repugnante e odiosa lembrança. Com muita luta e capacidade de articulação, conseguimos salvar o Banpará.

3. Neste PDV, são muito pequenos os valores para arrematar, indenizar o direito ao emprego. Em épocas mais magras, o Banpará pagou melhor os PDV's e PDVI's da vida. Oferecer 50% sobre o salário-base é pouco, muito pouco para quem vai ficar sem renda para sempre. E o pagamento de todas as verbas é direito líquido e certo, assim como os 40% sobre o saldo de FGTS.

4. Mas o pior desse PDV aloprado, é que a diretoria do banco quer pagar apenas por 1 ano o tíquete-alimentação  e os planos de saúde e odontológico. São justamente tíquete e plano de saúde itens que pesam na balança na hora de se pensar em aposentadoria, porque esses dois itens representam de 40% a 60% da renda. Quem adere ao PDV fica  imediatamente sem emprego e sem renda. E um ano depois, sem os planos odontológico e de saúde e sem o tíquete!

Ora, pela proposta da diretoria do banco quem aderir só terá direito a sorrir, comer e a se tratar durante um ano. Depois desse 1 ano, é a descida ladeira abaixo e sem qualquer apoio! 

Um ano passa rápido e no inverno da vida, o sino da meia-noite  chega bem mais rápido! Que PDV paga esse cruel desalento? E por que  esse refinamento torturante de botar prazo de validade para direitos tão essenciais como sonhar, sorrir?

É o que me indago nesta madrugada! 
Fonte: http://lapaoloni.blogspot.com.br/2013/02/banpara-anuncia-plano-de-demissao.html

AVALIAÇÃO

0 Comentários:

Postar um comentário